Aldo Assada

Aldo Assada é baixista da banda de Death Metal Psychotic Eyes mas as suas raízes musicais vão bem além do Metal. Rock´n´Roll sempre fez parte de sua base de formação juntamente com outros estilos musicais especialmente ao Jazz e suas vertentes e posteriormente a música brasileira em geral.

Pela vasta influência de estilos,  resolveu ingressar na Faculdade Santa Marcelina e estudou na antiga ULM, onde foi aluno do mestre Itamar Collaço. Estudou harmonia, improvisação e percepção com o mestre Emerson Barbosa, que também é seu mentor e produtor musical.

 

 

Durante a ausência de 18 anos do Psychotic Eyes, Aldo vivenciou a vida de músico profissional: atuou como professor de baixo elétrico, acompanhou bandas da noite paulistana com destaque para o Insônica e também atuou em terras internacionais em Abu Dhabi, nos Emirados Arabes Unidos.

 

 

Em paralelo, tornou se sommelier profissional, onde ganha destaque como "Sommelier do Ano" pela importante revista Prazeres da Mesa e foi finalista "melhor sommelier Vinhos do Alentejo" em Évora/Portugal. Durante o seu trabalho como sommelier também viajou e estudou em diversas regiões produtoras de vinho como França, Portugal, Argentina, Chile, Uruguai. Estuda para o nível Diploma nível 4 do famoso curso WSET em Londres.

 

Foi colaborador de diversas revistas e programas de televisão tais como Programa do Jô, Programa Legendários, caderno Paladar, Prazeres da Mesa, jornal São Paulo Shimbum, caderno divirta-se da Folha de Sp e diversos outros veículos da mídia especializada.

Em 2019 Aldo recebe o convite para voltar na formação original do Psychotic Eyes, banda esta que foi destaque em 2014 na revista Roadie Crew pelo lançamento do álbum "I only smile behind the mask" e recentemente lançou o primeiro álbum de death metal acústico da história chamado  "Olhos vermelhos".

 

 

Aldo Assada usa cordas La Bella Deep Talkin Flatwounds 0.43 e usa baixo precision Olinto by La Bella.

DANIEL FIGUEIREDO

O produtor musical e empresário Daniel Figueiredo já participou de diversos trabalhos com grandes nomes do mundo da música, vários álbuns indicados para o Grammy Latino, entre eles “Fruto de amor”, da cantora Aline Barros, eleito Melhor Álbum de Música Cristã e “Nosso samba tá na Rua ”, de Beth Carvalho, que venceu na categoria Melhor Álbum Samba / Pagode (estilos de música brasileira).

Daniel também contribuiu com quatro composições e arranjos na gravação “Surreal”, de um dos maiores guitarristas russos de todos os tempos, Roman Miroshnichenko, que também concorreu ao Grammy Latino em 2013. Daniel foi considerado duas vezes melhor produtor musical do mundo. ano no prêmio “profissão de entretenimento” (2015 e 2016).

Autor de dezenas de temas de abertura nas principais emissoras de TV, Daniel também é responsável pela produção musical de diversas novelas e seriados da Rede Record, entre elas “Os Mutantes”, “Vidas Opostas”, “A lei e o crime”, “ José do Egito ”,“ A terra prometida ”e o grande fenômeno“ Os Dez Mandamentos ”.

Para o cinema, além do filme Os Dez Mandamentos, que foi sucesso de bilheteria do cinema brasileiro, Daniel também trabalhou para o mercado norte-americano, com os filmes Transmigration e The Heartbreaker. no teatro, Daniel foi responsável pela trilha sonora da primeira peça de Tiago Santiago, “Apaixonados”.

Dono de uma empresa pioneira de gerenciamento de direitos, chamada UP-RIGHTS, que tem como clientes artistas como Roupa Nova, Jane Duboc, Beth Carvalho, Michael Sullivan, entre muitos outros, Daniel também é sócio das empresas, MusicSolution. (Produção de música focada em trilhas sonoras) e Paratela (produção, audiovisual e software).

Sempre de olho no futuro, Daniel foi o primeiro produtor musical a lançar seu próprio aplicativo de software para smartphones. O aplicativo “Daniel Figueiredo” já está disponível na AppStore e GooglePlay e através dele o usuário pode obter acesso a conteúdos exclusivos, incluindo a maioria das músicas já criadas por Daniel.

A Daniel endossa as marcas: PRS Guitars (EUA), PreSonus (EUA), Blueberry (Canadá), CME Pro (China), UVI (França) e Wire Conex (Brasil), PiGuitars e Fractal Audio.

Em março de 2018, Daniel recebeu o título de “Maior número de músicas em execução simultânea em novelas”. Entre fevereiro e novembro de 2017, o produtor musical teve 794 músicas tocadas em novelas.

http://danielfigueiredo.com.br/

https://www.facebook.com/DanielFigueiredoDANIFIG/

 

DIEGO MANCINI

O que define o trabalho de Diego Mancini é a pluralidade. Natural de Belo Horizonte, Minas Gerais, Diego é um multi-instrumentista, compositor, produtor e educador cujo trabalho busca trazer o que há de melhor nas pessoas.

Ele iniciou seus estudos na música com Gustavo Santiago aos 9 anos de idade, passando pelo violão para a guitarra e, eventualmente, aos 15 anos, para o baixo.

Enquanto se apresentava na crescente cena de rock independente da sua cidade natal, Diego descobriu sua segunda maior paixão: a educação.

Ele ensinou pessoas de idades e histórias de vida diversas e acredita que a educação é a verdadeira força de mudança no mundo atual.

Para aprofundar seus estudos, após se formar em Jornalismo, Diego se mudou para Los Angeles para estudar como aluno bolsista na Los Angeles College of Music, com professores como Jerry Watts Jr, Dave LeVray, Steve Billman e Abe Laboriel Sr, onde se formou com honras.

Ele fez parte do grupo de Jazz da faculdade, se apresentando em vários festivais na Califórnia. Ele gravou seu EP de estreia “Beauty in Disguise” com o aclamado produtor John Avila e com as participações de Natasha Agrama, Alejandro Millán e Evan Chudnow, apenas alguns dos presentes na gravação. Ele também participou do grupo de salsa Sabor, da banda de hip hop LA*ish e se apresentou regularmente em Pasadena e LA com seu repertório acústico.

Após retornar ao Brasil, Diego trabalhou e/ou gravou com artistas como Dado Prates, Wagner Cosse, Thelmo Lins, Cris Gunther, Marcos Ruffato, Pedro Santos, Ana Luísa Cosse e Gustavo Félix, além de ser o baterista da banda de rock Lobos de Calla.

Como um artista verdadeiramente plural, seu estilo varia dependendo do que é pedido dele. Atualmente está trabalhando no seu primeiro álbum em português com o produtor Luiz Camporez e está se preparando para o lançamento do disco de estreia de Campos Rosa, no qual gravou baixo e cantou.

Ele também é o diretor musical de Ana Luísa Cosse e o produtor musical para o álbum solo de estreia de Fernando Ferreira.

Diego Mancini é endorser das cordas La Bella e dos baixos Olinto.

www.diegomancini.com.br